Edição 12

Nesta Edição:

ESTUDOS E PESQUISAS

SERVIÇOS E UTILIDADES

FATOS E FAKES

  • A vacina contra a gripe aumenta o risco de adoecimento por covid-19?


ESTUDOS E PESQUISAS

Somente quarentena ou quarentena combinada com outras intervenções no controle da covid-19?

Pesquisa: Quarantine alone or in combination with other public health measures to control COVID-19: a rapid review  (doi: 10.1002/14651858.CD013574)

Autores: Barbara Nussbaumer-Streit,  (Cochrane Austria, Department for Evidence-based Medicine and Evaluation, Danube University Krems, Krems, Austria) e equipe de colaboradores

A pesquisa responde a qual pergunta?

Quais os efeitos da quarentena (sozinha ou combinada com outras medidas) entre indivíduos que tiveram contato com casos confirmados de COVID-19 ou que vivem em regiões com altas taxas de transmissão da doença?

Por que isso é importante?

Até o momento, não há intervenções farmacológicas eficientes ou vacinas disponíveis para tratar ou prevenir a infecção pela COVID-19. Por essa razão, medidas como o isolamento, o distanciamento social e a quarentena têm sido os únicos meios utilizados para enfrentar a pandemia. A quarentena pode ser implementada voluntariamente ou de forma obrigatória pelas autoridades, e aplicada a indivíduos, grupos ou comunidades. Uma revisão recente da literatura relatou que a quarentena pode ter impactos psicológicos negativos, como sintomas de estresse pós-traumático, confusão e raiva, que podem levar a efeitos psicológicos importantes a longo prazo. No momento, existe a recomendação de 14 dias de quarentena para os indivíduos que tiveram contato próximo com casos confirmados da doença. De acordo com regulamentações internacionais, medidas de saúde pública devem ser baseadas em evidências científicas; assim, os autores desse artigo decidiram conduzir uma revisão sistemática da literatura acerca da eficácia da quarentena, sozinha ou associada a outras medidas, no combate à pandemia.

Quais foram os resultados?

Em razão das diferentes metodologias dos estudos que compuseram a revisão, os autores fizeram uma síntese apenas narrativa dos dados dos 29 artigos incluídos no estudo. As evidências encontradas foram classificadas como baixas ou muito baixas; entretanto, os estudos de modelagem reportaram benefícios consistentes da quarentena. A quarentena de pessoas expostas a casos suspeitos ou confirmados pode evitar de 44 a 81% dos novos casos, e de 31 a 63% das mortes por COVID-19, em comparação com nenhuma intervenção. As evidências disponíveis sugerem que, quanto mais precocemente a quarentena for implementada, maior a economia nos gastos com a saúde. Quando os modelos combinam a quarentena com outras medidas (fechamento de escolas, restrições a viagens e distanciamento social), ocorre maior redução de novos casos, de transmissão e de mortes em comparação com a quarentena sozinha. As evidências atuais sobre essa temática restringem-se aos estudos de modelagem, que utilizam dados provenientes do conhecimento atual fragmentado. Apesar disso, os achados indicam que a quarentena é importante para reduzir a incidência e a mortalidade por COVID-19. A implementação precoce da quarentena e de outras medidas de saúde pública é importante para reforçar sua efetividade.


Impacto clínico da COVID-19 em pacientes com câncer: um estudo de corte

Pesquisa: Clinical impact of COVID-19 on patients with cancer (CCC19): a cohort study (10.1016/S0140-6736(20)31187-9)

Autores: Nicole M Kuderer (Advanced Cancer Research Group, Kirkland, WA, USA) e equipe de colaboradores

A pesquisa responde a qual pergunta?

Quais são os principais efeitos clínicos da COVID-19 em pacientes com câncer?

Por que isso é importante?

Ainda há pouca informação sobre os reais efeitos que acometem pacientes com câncer infectados pela COVID-19. Os resultados que a comunidade médica tem até o momento se referem, em sua maioria, a estudos com um tamanho amostral reduzido, fato que não garante uma alta confiabilidade nas respostas observadas. Informações dessa natureza são particularmente importantes, pois pacientes com quadro de câncer são imunocomprometidos, em virtude do agressivo tratamento antineoplásico; ou seja, os medicamentos que eles utilizam podem trazer implicações imunológicas, tornando-os ainda mais vulneráveis aos efeitos da infecção pelo novo coronavírus. Além disso, deve-se considerar que o câncer acomete principalmente a terceira idade, o que torna essas pessoas ainda mais vulneráveis devido à presença de outras enfermidades. Assim, é fundamental conhecer a evolução dos quadros de COVID-19 em pessoas com câncer.

Quais foram os resultados?

O estudo liderado por Nicole Kuderer contou com 928 pacientes, com idade em torno dos 66 anos, sendo que desse total, 279 pessoas tinham 75 anos ou mais. Portanto, esse foi um estudo voltado para a terceira idade, e contou apenas com pacientes infectados por COVID-19 que já tinham câncer, em sua maioria neoplasias de mama e próstata. Os achados do estudo mostraram que, em um intervalo de 30 dias, dentre as principais causas de agravamento da COVID-19 observadas nos pacientes que foram a óbito, estavam: a avanço da idade, o hábito do tabagismo e o número de comorbidades preexistentes (por exemplo: diabetes, obesidade e hipertensão). Os pesquisadores destacaram que raça e etnia, obesidade, tipo de câncer, tipo de terapia anticâncer e cirurgia recente não estiveram associados a mortalidade entre os pacientes. Por fim, os autores do estudo concluíram que, mesmo com uma amostragem relativamente grande, os resultados ainda são preliminares, e mais estudos precisam ser conduzidos para entender melhor o efeito da COVID-19 em pacientes com câncer. A possibilidade de continuar tratamentos específicos para as diversas neoplasias durante o curso da COVID-19 também precisa ser estudada.


SERVIÇOS E UTILIDADES

Plano de flexibilização da quarentena no estado de São Paulo

No início de junho, o governo do estado de São Paulo lançou um plano de flexibilização da quarentena. O plano dividiu o mapa do estado em 5 microrregiões, e, de acordo com a fase em que cada microrregião se encontra (de 1 a 5), haverá a abertura gradual de alguns setores da economia antes fechados devido à quarentena. As fases serão definidas com base na ocupação de leitos de UTI, na variação semanal de novos casos e nas mortes e internações por COVID-19 em relação à semana anterior.

Prefeitura de São Paulo irá atender a 7 mil pessoas que buscam pelo seguro-desemprego

Todos os postos do Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo (CATE) da prefeitura de São Paulo irão atender e dar suporte às pessoas que pretendem pleitear o seguro-desemprego. Para isso, o munícipe precisa ligar para a central 156 e fazer o seu agendamento. Segundo a prefeitura da capital paulista, mais de 6 mil pessoas já foram atendidas desde o início da pandemia, sendo que, desse total, 45% deixaram o atendimento com o benefício liberado ou em análise pela Caixa Econômica Federal. Até o dia 08 de junho de 2020, mais de 1700 cidadãos já haviam agendado um horário em um dos 13 postos do CATE. Caso você esteja entre os possíveis beneficiários do serviço mencionado, não perca tempo, ligue o quanto antes e faça o seu agendamento!

Cursos gratuitos em diversas áreas do saber

O instituto Federal do Rio Grande do Sul abriu inscrições gratuitas para que estudantes possam complementar a sua formação básica neste período de pandemia. O catálogo de cursos apresenta 110 temas, que variam desde “Ambiente e Saúde”, “Gestão e Negócios” e “Turismo e Hospitalidade”, até cursos técnicos de cuidados com idosos. A plataforma utilizada para as aulas será a Moodle, e as inscrições vão até o dia 30 de junho. A grande vantagem é que o aluno poderá assistir às aulas no horário de sua preferência. No entanto, é necessário ficar atento para finalizar o curso até a data de encerramento do projeto do Instituto Federal, dia 31 de julho.


FATOS E FAKES

A vacina contra a gripe aumenta o risco de adoecimento por covid-19?

A resposta é: Não! Recentemente circulou nas redes sociais uma notícia falsa afirmando que a vacinação contra a influenza poderia aumentar em 36% o risco de complicações relacionadas à contaminação pelo novo coronavírus. O próprio site do Ministério da Saúde esclarece que não há qualquer estudo científico relacionando vacinas com o risco de adoecimento ou surgimento de complicações relacionadas à COVID-19. O artigo citado na notícia falsa, que supostamente comprovaria a afirmação, é de 2017, portanto, anterior ao surgimento da pandemia, cujo primeiro caso data de dezembro de 2019. A vacinação contra influenza previne apenas a gripe, e é importante que ela seja feita para excluir o diagnóstico de síndrome gripal de uma eventual suspeita de COVID-19.


Organização

Pró-Reitoria de Pesquisa e Desenvolvimento Institucional

Comitê Científico – Contingência COVID-19

Dr. Allan Novaes, Dr. Fabio Alfieri, Dra. Maristela Martins,
Dra. Gildene Lopes, Dr. Rodrigo Follis, Dra. Lanny Soares e Dra. Naomi Vidal Ferreira

Produção

Mestrado em Promoção da Saúde

Dr. Maurício Lamano, Dra. Natália Cristina Vargas e Silva